Sessão de terapia

Uma sala pequena no sexto andar de um prédio qualquer no centro da cidade.

Um sofá que me parece bem aconchegante, mas que nunca fui convidado a sentar. 

Uma cadeira que me parece pouco ergonômica, mas que curiosamente é o único móvel que se apresenta pra mim.

Um facho de luz solar que invade o coração gelado da sala e dá cor às paredes desgastadas daquela saleta alugada.

Um cheiro forte de incenso toda vez que entro por aquela porta e que finjo não me importar, confiando no senso comum que diz que é pra afastar maus espíritos.

Um lugar pra afogar pesadelos. Dos mais recentes aos que me perturbam há tantos anos.

"Me fale sobre você".

Começa o turbilhão.

Gavetas sendo reviradas pra definir o que fica e o que deve ser jogado fora.

Lágrimas querendo correr o rosto inteiro, sabendo que é duro reconhecer certas coisas.

Folhas e mais folhas pra escrever sobre decepções, cruzando um oceano de olhos vermelhos pra chegar num refúgio.

E eu vou chegar lá. Esse refúgio aí vai ser minha morada. 

Ah, se vai.

Comentários

Postagens mais visitadas