Cortina da rotina

Segunda-feira, eu monto. Terça-feira, eu instalo. Quarta-feira, eu incluo. Quinta-feira, eu concordo. Sexta-feira, eu apareço. Sábado, eu te ofereço. Domingo, eu não sou nada.

Segunda-feira, eu supro. Terça-feira, eu consisto. Quarta-feira, eu quase desisto. Quinta-feira, eu insisto. Sexta-feira, eu visito. Sábado, eu deliro. Domingo, eu não existo.

Segunda-feira, eu caminho. Terça-feira, eu desmaio. Quarta-feira, eu saio. Quinta-feira, quase caio. Sexta-feira, eu garanto. Sábado, eu trabalho. Domingo, eu viro do avesso.

Segunda-feira, penso que é domingo. Terça-feira, penso que é sábado. Quarta-feira, penso que é sexta. Quinta-feira, penso no que posso. Sexta-feira, penso no que não posso. Sábado, nem penso. Domingo, nem vejo.

E assim vou, até que a rotina se arrebente por aí.

Comentários

  1. Parece minhas ultimas semanas isso! Gostei.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito dos teus textos, parabéns, eu vou voltar sempre pra ler!

    ResponderExcluir
  3. Ai que fabuloso. Sensacional!
    É aquele tipo de coisa que da gosto de ler e, quando você termina, você está sorrindo.
    Não que essa rotina sufocante me deixa feliz, mas esse seu jeito de simplesmente assassina-la me deu gosto.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Faça a festa.

Postagens mais visitadas