Alô

Alô, estranho. 

Desde pequeno, noto que você quer se aproximar de mim. Queria entender por que sou incapaz de me abrir o suficiente para isso.

Mas decidi que quero saber tudo agora, cansei do medo e também cansei de suspense. 

De onde você vem? 

Quantos mais existem iguais a você? 

Qual é seu refrigerante favorito? 

Você tem quantos anos? 

A única coisa que não quero saber é seu nome. Deixa que eu me encarrego de criar um pra você.

Lembro aquele dia em que fazia frio. Era setembro e tudo parecia me confundir tanto que não sobrava ânimo nem mesmo para levantar da cama. 

Aí veio você, estranho. Conversou comigo e tudo pareceu mais claro. Todos aqueles erros apontados, todas aquelas mentiras, todo o caminho que há muito me prejudicava e você me mostrou. 

Tudo isso veio para mim como que um doloroso relatório mental, como memórias que necessitavam ressurgir para que algo fosse mudado.

Também teve aquele outro dia em que eu parecia desanimado - mesmo cego por não perceber que tudo estava a meu favor - e veio você outra vez pra me dizer que ter excesso de confiança é um grande erro, que não vale a pena. 

Não quis te dar ouvidos. Dito e feito. Desastres e mais desastres foram acontecendo por não te ouvir. Foi pesado - e ainda é - mudar minha maneira de encarar as coisas, toda a minha concepção, tudo que eu achava tão certo.

Eu não sei, estranho, você já me ajudou tantas vezes. Não sei qual é a sua, mas acredito que você me parece mais um tipo de...anjo, sei lá. E eu tentei, por todos esse anos, procurar uma identidade que me fizesse conhecer bem você, mas pode ser que você esteja por aí somente querendo me ajudar sem cobrar nada em troca.

Meus pais - assim como todos os outros - me diziam para não aceitar conselhos de quem eu não conhecia. Mas sem seus conselhos, estranho, eu não teria tantos momentos de reflexão. Eu não procuraria saber quem eu realmente posso ser.

Sabe, talvez poucos passem por isso de ter alguém como você para endireitar certas coisas que não vão bem. Eu sou grato por isso, ainda que eu nem saiba a quem estou agradecendo. Passei a dar valor ao que você faz por mim. É para o meu bem, tudo isso o que você faz.

Obrigado, estranho. 

Câmbio, desligo.

Comentários

  1. Guardarei o segredo só comigo, hihi ;x

    Mas o que importa é que cedo ou tarde você escreveu aqui palavras que não eram necessárias, afinal coincidentemente o seu novo post foi no dia do meu aniversário.
    O que mais me importa é que a cada dia, mais eu vejo o quanto a nossa amizade é sincera, importante e que eu a guardo no meu coraçãozinho.
    Eu te amo muito, Fáh. Obrigada por tudo <3

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Faça a festa.

Postagens mais visitadas